Bem-vindo a uma paixão!

Você está diante do primeiro e único blog sobre a
História de Porto Walter, pensado e organizado por um historiador portuwaltense.
Para tornar-se co-autor, deixe seu comentário ou envie um e-mail para: franciney.czs@gmail.com


sexta-feira, 25 de junho de 2010

Parabéns, Porto Walter!

Hoje, para a História oficial de Porto Walter, deveria estar sendo comemorado o Centenário da localidade.

Sim, o Centenário, pois há 100 anos, pela História contada e recontada nos últimos 18 anos aos escolares, o Coronel Manoel Absolon de Souza Moreira se estabelecia por ali e iniciava uma grande derrubada para plantar cana-de-açúcar, seringueiras e frutíferas.

A prova desse empreendimento agrícola? Três mangueiras  enormes, com galhos debruçados sobre o barranco. Sobreviventes apenas porque até o momento, não atrapalham o "progresso". 
Duvide que alguém lembrará e se esquecerem, que diferença fará, por enquanto?

Certamente será comemorado apenas mais um aniversário de amacipação política, quando no dia 28 de abril de 1992, através da Lei nº 1.033 foi desmembrado de Cruzeiro do Sul.

Por hoje, Quatro Colinas, o poema que dá nome ao livro lançado ali pelo Salão Paroquial no dia 09/12/2006. 


                Quatro Colinas

No pequeno antiquário dos meus sonhos

Resta-me a recordação, quase presente

De quatro colinas numa curva do rio
De suas tardes
De suas alvoradas
De suas despedidas
Quatro colinas o mesmo assunto
Os mesmos passos
E o mesmo câncer, social e
No entanto mais humano.
Quatro colinas numa curva do rio
Os olhos cansados dos que te carregam
Te viam enorme
E da torre da igreja, dez anos após
Um pedaço do rio
Um pedaço de céu
Demarcando a floresta cada vez mais longe
Quatro colinas do que já se foram
Quatro colinas dos que partirão
Quatro colinas no passado
De passatempo e de passavida
Como depõem os cabelos dos meus avós
Tão verdadeiros, tão naturais
Quatro Colinas,  não importa.
O futuro de espera há mais de 100 anos.

                                                   (Quatro Colinas, pg 42)

2 comentários:

Luíz Almeida disse...

Hôo!!! Velhas mangueiras pq desafias minhas mais remotas lembranças de forma tão cruel?? Palco de meus devaneios, alegrias, tristezas e despedidas, porque??

Lugar de tantos encontros e desencontros, despedidas e saudades... (Não posso continuar o restante...)

Anônimo disse...

Mangueiras, velhas mangueiras, quantas vezes me protegeram mesmo antes de nascer a verdadeira consciencia dos principios democraticos e liberdade de expressao pelos proprios educadores. Hoje com a pluralidade de partidos e principalmente de religioes que se instalaram no municipio, podemos ver P.W. mais fraternos e democratico. nao so a potiguara mais o mundo chega facil em P.W. sao 25 anos de mudancas.